Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escritos Dispersos

"Todos começamos por ser crianças." "Com tempo, perseverança e esperança, tudo se alcança." À minha mulher e às nossas filhas.

Escritos Dispersos

"Todos começamos por ser crianças." "Com tempo, perseverança e esperança, tudo se alcança." À minha mulher e às nossas filhas.

Clínica Médica de Alfragide... CLIMA

 

http://www.clinicamedicadealfragide.com/ [CLIMA]

 

Doutora Benevenuta Esquível (Medicina Interna), uma Médica com imenso profissionalismo, dando primazia aos interesses dos seus pacientes, com elevados padrões de competência (profissional e pessoal) e integridade, oferecendo informações especializadas sobre questões de saúde, com respostas claras e muito esclarecedoras.

 

Doutor Pedro Simões (Medicina Dentária), um Médico com imenso profissionalismo, dando primazia aos interesses dos seus pacientes, com elevados padrões de competência (profissional e pessoal) e muita integridade, transmitindo confiança (doente informado é doente mais seguro), oferecendo informação especializada e completa sobre o que está a fazer para preservar os nossos dentes. Claro que conta com a prestimosa e competente ajuda da sua assistente, a Sandra. Também uma palavra de apreço para o Doutor Pedro Ferreira Trancoso, pela sua disponibilidade e competência.

 

Doutor Nuno Corte Real (Ortopedia), um Médico muito cordial, com muito profissionalismo, transmitindo informação e segurança aos seus pacientes, com respostas claras e muito esclarecedoras.

 

Uma palavra de apreço para as recepcionistas, a Marta Farinha e a Vânia Tibúrcio, que conseguem coordenar eficientemente  todas as consultas, tratando muito simpática e cordialmente os utentes da Clínica Médica de Alfragide (CLIMA). Bem hajam. Muito obrigado às duas.

 

Os nossos mais recentes "achados", na sequência de outros (igualmente valiosos), nas indispensáveis deambulações pelos serviços de saúde.

 

 

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Escritos Dispersos 04.02.2010 20:22

    Olá Eduardo, boa noite,

    Agradeço este seu sempre amável comentário.

    Eu agradeço e reclamo segundo juízos de legalidade e equidade.

    Hoje, dia 4 de Fevereiro de 2010:

    1. Vou participar, apresentar queixa/participação de ocorrência, de um sr. Major do SGE NIM 08745278José Manuel da Costa Neto Alves, da Direcção de Saúde do Exército, pelo mau/péssimo atendimento prestado e por afirmar peremptoriamente, à frente de terceiros, que não tem nada de conhecer a lei! Depois retrocedeu e ficou de me dar uma resposta em breve... claro que vou participar/queixar-me na mesma! Fez-me perder uma hora ou mais (tenho tudo registado: os procedimentos meramente dilatórios e as exigências manifestamente ilegais), tudo para que me fornecessem, na qualidade de procurador (com procuração nos termos legais), umas meras fotocópias, pagas, de um processo relativo a um ex-combatente (com invalidez).

    2. Vou elogiar/agradecer quem tão bem me atendeu na Biblioteca Municipal de Lisboa / Palácio Galveias, achando interessantíssimo o facto de me poderem ajudar a trazer dez obras sobre deficiência/oncologia!

    3. Vou ignorar um "incompetente delicado" que me atendeu no INR e agradecer a prestimosa ajuda da Senhora Doutora Maria do Céu, da Biblioteca do mesmo INR, pela sua competência, diligência, eficiência e disponibilidade! Tenho boas novidades...

    Um abraço, com amizade,

    Alberto

    Em tempo: É esta a nossa LUTA!
  • Sem imagem de perfil

    Eduardo Jorge 05.02.2010 15:27

    Que essa força nunca lhe falte, Alberto!
    É muito importante pessoas como o Alberto contactarem estes gabinetes.
    Alberto sabe como agir e como reclamar.

    Alberto, leia bem o que está na apresentação da página do INR. Nada daquilo eles cumprem. É revoltante!
    Esse "incompetente delicado" atende toda a gente assim. Aquela linha é SOS deficiente, suposto seria telefonicamente alguém com sensibilidade, formação e educação nos atender. Pois nem todo o deficiente consegue pedir ajuda por escrito.

    Mas não, e não é só ele que nos atende assim.
    Todos reclamamos e aqueles funcionários cada vez nos tratam pior.

    Eu já fiz uma exposição para a direcção. Só não pude por nome dele porque ele recusou-se a identificar-se.

    Nem imagina a quantidade de deficientes que já nem liga por causa desse tipo de procedimento. Reclamar não adianta. Nem respondem.
    Uma vez até me respondeu que nós deficientes somos uns burros e que ocupamos todos os serviços sempre a fazer perguntas desnecessárias. Que se houvesse 20, 30 ou 100 funcionários que nunca seriam suficientes porque deveríamos era 1º a estudar e aprender.

    Tempos atrás Sec. de Estado Adj. e da Reabilitação teve a ideia de vir para a imprensa dizer que deveriamos reclamar mais. Eles não mudam e nem nos respondem?

    Bem haja Alberto, você faz um trabalho excelente.

    Abraço
  • Imagem de perfil

    Escritos Dispersos 05.02.2010 19:03

    Olá Eduardo, boa tarde,

    O caso é extremamente sério e grave!!! Mas não consegui deixar de esboçar um sorriso pela realidade do que descreve: foi o que senti ontem, quando me desloquei pessoalmente ao INR!!! O vigilante/porteiro diz que o assunto é com um tal Dr.! Que o tal Dr. só atendia a partir das 14.30 horas (eram 14.18). Disse que aguardava. Logo de seguida efectuou uma chamada telefónica e mandou-me esperar na sala de espera, junto ao anfiteatro. Esperei alguns e surge-me um Sr. com dois "dossiers" cheios de papéis avulso (pensei logo: não é isto que pretendo). Já sentados, depois de lhe expor o que pretendia aconselhou-me a consultar o GOOGLE (!) e o sítio do INR. Tentei explicar-lhe melhor o que pretendia (ouvi algumas lamúrias... estilo "dantes éramos 400, agora somos só 40...", "já podia estar reformado, mudaram a lei...!", tudo interessava aquele Sr., excepto os deficientes!!! Mas encaminhou-me para a Biblioteca, onde me deixou com a Senhora Doutora Maria do Céu... Começou a minha sorte: já reuni cerca de TRINTA obras que me vão auxiliar na produção do meu/nosso GUIA!

    Nunca devemos desistir! LUTAR SEMPRE!!!

    Nunca conseguirei fazer um excelente trabalho... o trabalho com o doente oncológico/deficiente é um trabalho sem fim, em busca da excelência. O que se passa é que o cancro, a deficiência, é revelada em segundos! O tratamento, os direitos (e deveres) estão "escondidos"!

    Um abraço amigo. Bem haja.

    Alberto
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Links

    Seguros

    Reparação de automóveis

    Oficinas

    Rádio

    Deficientes/PESSOAS com necessidades e/ou dificuldades especiais

    Saúde...

    SOS Crianças

    Serviços de Saúde

    VISITAS

    VISITAS